Projetos

    Ativos

    Águas Cerratenses: Semear para brotar

    Metas governamentais de restauração de ecossistemas são estimadas em 12 milhões de hectares, mas para viabilizar seu cumprimento é necessário a estruturação da cadeira de suprimentos regionalmente e a inserção de áreas com passivo ambiental, que estas possibilitam a otimização dos processos de restauração com economia de escala. A adequação ambiental da propriedade rural é uma demanda legal, mas mais do que isso é também uma oportunidade para o desenvolvimento de alternativas sustentáveis de geração de renda com benefícios sociais para comunidades rurais em situação de risco.

    Para que seja possível restaurar em escala é preciso que haja uma cadeia produtiva de sementes de espécies nativas capaz de suprir a demanda de milhares de hectares. Esta cadeia produtiva, quando estruturada com a participação das comunidades locais, potencializa a capacidade produtiva de sementes nativas, ao mesmo tempo que gera benefícios sociais e fortalece o desenvolvimento científico e tecnológico em relação à biodiversidade nativa.

    Diante disso, o projeto “Águas Cerratenses: Semear para Brotar” tem como linha estrutural a sensibilização e envolvimento de propriedades rurais para regularização ambiental, conforme definição na legislação federal - Código Florestal, bem como o fortalecimento cadeia de produção de sementes nativas de base comunitária para geração de renda familiar de grupos vulneráveis. Por meio da análise de dados apresentados no Cadastro Ambiental Rural- CAR, estimamos a demanda e interesse de proprietários em aderir ao Programa de Regularização Ambiental – PRA, como beneficiário das ações de recomposição da vegetação nativa.

    Sendo assim, o objetivo dessa iniciativa é viabilizar de forma inovadora a restauração em larga escala na região do Cerrado brasileiro, no Norte Nordeste de Goiás, região de importância ecológica e hídrica, na Bacia do Tocantins Araguaia, região do Alto Médio Tocantins.

    O projeto conta com o apoio de uma rede de parceiros que vem atuando, há pelo menos dez anos, no fortalecimento dos elos da cadeia produtiva da restauração do Cerrado. A Associação de Coletores de Sementes Cerrado de Pé-ACP é uma dessas organizações, operando com o fornecimento de sementes nativas de base comunitária. A ACP abrange quatro cidades da região da Chapada dos Veadeiros e possui 98 associados, pertencentes a comunidades rurais, perirurais, assentados e quilombolas, sendo que 90% têm apenas o ensino fundamental ou escolaridade inferior e 60% são mulheres. Um recorte significativo dos participantes da ACP são os quilombolas da comunidade Kalunga em Cavalcante, onde 90% dos coletores são mulheres, tendo na produção de sementes nativas sua fonte de renda principal. Ao todo foram 30 toneladas de sementes produzidas e um total de R$ 776.000,00 de recurso repassados aos coletores.

     

    Desta forma, em parceria com a empresa Semeia Cerrado e com a ACP, a Rede de Sementes do Cerrado pretende com este projeto viabilizar a restauração de pelo menos 800 hectares, principalmente, por meio da técnica da semeadura direta, que permite o aumento da escala de produção de sementes nativas de base comunitária e, consequente, transferência de renda com a conservação das áreas nativas. A proposta visa a expansão planejada da produção de sementes nativas junto a ACP juntamente com a realização de estudos para quantificação de carbono absorvido com a restauração e, ainda, a realização de ações estratégicas de educação ambiental para crianças e jovens da região.

     

    Sobre o Financiador

    Alinhado ao compromisso da Caixa com o desenvolvimento do Brasil, o Fundo Socioambiental CAIXA (FSA CAIXA), criado em 2010, aplica recursos da empresa para apoiar projetos e investimentos de caráter socioambiental com foco na população de baixa renda.

    Os recursos que constituem o Fundo Socioambiental CAIXA são provenientes do lucro líquido anual da CAIXA, limitado a 2%, definidos em um Plano de Aplicação aprovado pela direção da empresa.

    O acesso aos recursos do FSA CAIXA se dá mediante a seleção de propostas de projeto apresentadas conforme o Plano de Aplicação vigente e de acordo com as modalidades:

    • Seleção pública – projetos selecionados a partir de critérios divulgados em editais específicos.
    • Apoio a políticas internas – projetos estratégicos propostos por entidades externas, doadores ou repassadores de recursos ao FSA CAIXA, também enquadrados nos eixos de atuação e nas linhas temáticas definidas no Plano de Aplicação.
    • Incentivo financeiro a negócios sustentáveis – busca fortalecer a oferta de crédito com condições diferenciadas para promover soluções que possuam adicionalidade socioambientais.

    CLN 211 - Bloco A - Sala 221

    Asa Norte - Brasília - Distrito Federal
    Atendemos das 8:30 às 14:30